NGO na Mídia

Dólar recua frente ao real após superar R$ 4,66

Queda ocorre em linha com divisas internacionais; Banco Central realizou leilão de 2 bilhões de dólares em contratos de swap cambial

O dólar passou a cair nesta sexta-feira (6), após superar os 4,66 reais mais cedo. Às 12h40, a moeda americana recuava 0,722% e era negociada por 4,6174 na venda.

Pela manhã, o Banco Central realizou leilão de 2 bilhões de dólares em contratos de swap tradicional para tentar conter alta em meio às expectativas de corte da Selic. A medida causou pouco efeito sobre o câmbio. Em seguida, a divulgação de dados positivos sobre o desemprego nos Estados Unidos referentes ao mês de fevereiro ajudou a aliviar a tensão sobre os impactos econômicos do coronavírus no mundo e o real chegou a se valorizar frente ao dólar.

A valorização do real frente ao dólar ocorre em linha com o movimento de outras divisas internacionais. Nesta sexta, o índice Dxy, que mede o desempenho do dólar frente a uma cesta de moedas caia 0,81%. Embora o índice dólar se encaminhe para a sexta queda dos últimos sete pregões, no Brasil, a moeda americana vinha ganhando força desde 17 de fevereiro. Caso caia, a dólar irá encerrar a sequência de 12 altas consecutivas e 11 recordes nominais.

Apesar da queda de hoje, o câmbio tem se tornado uma preocupação no mercado financeiro.

Dólar a cinco reais?
Em relatório, Sidnei Nehme, analista de câmbio da corretora NGO afirmou ver a valorização atrelada à sequência de cortes de juros e à baixa atividade econômica brasileira, insuficiente para atrair investidores estrangeiros. “O resultado é o preço do dólar num alinhamento para atingir 5,00 reais”, escreveu.

Jason Vieira, economista-chefe da Infinity Asset também não descarta a hipótese de a moeda chegar a esse valor. “Dólar a 5 reais não é impensável, mas talvez não seja aceitável”, comentou. Segundo ele, tecnicamente, o dólar está sem muita resistência. “Tinha certa resistência quando estava entre 4,20 reais e 4,30 reais. Agora já estamos chegando em 4,70 reais e não parece que o Banco Central está preocupado”, disse.

Na terça-feira (3), após o Federal Reserve cortar os jutos americanos, o Banco Central emitiu um comunicado em que sinalizou que pode voltar a cortar a Selic. Analistas do mercado consultados por EXAME, consideraram a medida do BC como “precipitada”, visto que aumenta a pressão para que o corte seja efetivamente feito na próxima reunião do Comitê de Políticas Monetárias (Copom), no próximo dia 18.

Ontem (5), o ministro da Economia, Paulo Guedes admitiu a possibilidade da moeda americana atingir a marca de 5 reais caso “se fizer muita besteira”.

Para Vieira, dólar a 5 reais pode ter consequências políticas para o governo. “A população em geral associa o dólar baixo como algo positivo, tanto que nas eleições tinha gente pedido dólar a 2 reais de volta. De certa maneira, essa percepção é um passivo político. Os políticos vão falar que o Bolsonaro deixou o dólar chegar a 5 reais”, afirmou.

Na sessão anterior, o dólar à vista fechou em alta de 1,54%, a 4,651 reais na venda – nova máxima histórica nominal para um encerramento.

ngo na midia exame Fonte: Exame
Autor: Redação
Link: exame.abril.com.br/dolar-abre-em-leve-queda-apos-12-sessoes-de-altas/
Data de publicação: 06/03/2020

Compartilhar :
plugins premium WordPress