NGO na Mídia

Em dia de Copom, dólar abre em queda e recua a R$ 2,34

O dólar comercial está sendo negociado a R$ 2,346 na venda nesta quarta-feira, uma desvalorização de 0,42%. A moeda americana já abriu os negócios com desvalorização frente ao real. Na compra, a divisa está cotada a R$ 2,344. Notícias de captações externas ajudam a derrubar a cotação da moeda americana, segundo analistas, já que os recursos começam a ser internalizados. A Petrobras concluiu ontem a emissão de títulos no exterior no montante de3,05 bilhões de euros e 600 milhões de libras esterlinas, numa operação envolvendo títulos com vencimento em quatro, sete, 11 e 20 anos. O BNDES também está fazendo uma captação de 650 milhões de euros

O dólar comercial está sendo negociado a R$ 2,346 na venda nesta quarta-feira, uma desvalorização de 0,42%. A moeda americana já abriu os negócios com desvalorização frente ao real. Na compra, a divisa está cotada a R$ 2,344. Notícias de captações externas ajudam a derrubar a cotação da moeda americana, segundo analistas, já que os recursos começam a ser internalizados. A Petrobras concluiu ontem a emissão de títulos no exterior no montante de3,05 bilhões de euros e 600 milhões de libras esterlinas, numa operação envolvendo títulos com vencimento em quatro, sete, 11 e 20 anos. O BNDES também está fazendo uma captação de 650 milhões de euros.

O mercado também está na expectativa da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) que termina nesta quarta. Se a Selic, taxa básica de juro, subir 0,5 (de 10% ao ano para 10,5%) o mercado avalia que o governo passará uma mensagem de austeridade, de comprometimento em derrubar a inflação. Com isso, o dólar poderá se manter no atual patamar. Mas se a Selic subir apenas 0,25 (de 10% a 10,25%) o impacto pode ser negativo e o dólar ficar mais pressionado.

“O mínimo que se espera é uma decisão firme de elevação da Selic para 10,50%, para que não ocorra a deterioração da inflação, o que seria preocupante para um ano que se inicia com todo tipo de prognóstico negativo”, diz em relatório o economista Sidnei Nehme.

Na Bolsa de Valores de São Paulo, o Ibovespa, principal índice do mercado de ações, abriu em alta e às 10h06m estava subindo 0,45% aos 49.928 pontos. Os investidores devem manter a cautela durante o pregão, segundo analistas, esperando pela decisão do Copom. Também estarão atentos à divulgação do Livro Bege, relatório sobre as condições econômicas dos Estados Unidos, elaborado pelo Federal Reserve.

Os investidores também analisam relatório do Banco Mundial, que estimou que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil teve expansão de 2,2% em 2013 e que o crescimento será de 2,4% em 2014, de acordo com seu relatório bianual “Perspectivas Econômicas Globais” divulgado nesta terça-feira. O resultado nos dois anos seria portanto abaixo da média do crescimento global – de 2,4% e 3,2%, respectivamente – calculada pela instituição.

Para a zona do euro, o Banco Mundial estima crescimento de 1,1% neste ano, após contração de 0,4% no ano passado, e cresça 1,4% em 2015. Pela previsão do Banco Mundial, o crescimento global mundial deve ser de 3,2% em 2014, após expansão de 2,4% no ano passado. A expectativa é que a taxa avance para 3,4% em 2015. Com esses números, as Bolsas europeias sobem. O principal índice da Bolsa de Frankfurt, Dax, tem alta de 1,16%.


Fonte: Yahoo
Link: http://goo.gl/cwHD7U
Autor: Agência O Globo
Data de publicação: 15/01/2014

Compartilhar :
plugins premium WordPress