NGO na Mídia

Dólar recua 1,08% em dia de ajustes no exterior e atuação do BC

O dólar comercial encerrou a sessão desta sexta-feira, 02, em queda após dados divulgados hoje, sobre o mercado de trabalho norte-americano e atuação do Banco Central (BC). Com isso, a moeda norte-americana recuou 1,08%, cotada a R$ 2,278 na compra e R$ 2,280 na venda. A queda, segundo analistas de câmbio, foi ditada pelo enfraquecimento da moeda estadunidense em todo o mundo. Aqui no Brasil, esse cenário teve reforço quando o Banco Central do Brasil (BC) realizou mais um leilão equivalente à venda de dólares no mercado futuro (swap cambial). Foram ofertados 40 mil contratos com duas datas de vencimento.

O dólar comercial encerrou a sessão desta sexta-feira, 02, em queda após dados divulgados hoje, sobre o mercado de trabalho norte-americano e atuação do Banco Central (BC). Com isso, a moeda norte-americana recuou 1,08%, cotada a R$ 2,278 na compra e R$ 2,280 na venda.

A queda, segundo analistas de câmbio, foi ditada pelo enfraquecimento da moeda estadunidense em todo o mundo. Aqui no Brasil, esse cenário teve reforço quando o Banco Central do Brasil (BC) realizou mais um leilão equivalente à venda de dólares no mercado futuro (swap cambial). Foram ofertados 40 mil contratos com duas datas de vencimento.

O departamento do Trabalho dos Estados Unidos revelou que o índice de desemprego nos no País caiu a 7,4%, apesar da criação de 162.000 novos postos de trabalho. Os analistas esperavam, segundo uma estimativa média, uma queda menor, com uma taxa de desemprego de 7,5% em relação aos 7,6% registrados em junho, o entanto com uma maior criação de empregos.
Na sessão de ontem, mesmo com o dólar tendo superado os R$ 2,30, a autoridade monetária preferiu não intervir. Nesse sentido, segundo economistas, toda queda será oportunidade de compra. Por isso o dólar se recupera rapidamente logo depois de cair.

No entanto, para o economista Sidnei Nehme, da NGO Corretora de Câmbio, os “swaps cambiais” perderam a capacidade de influenciar de forma contundente a tendência de alta do preço da moeda americana. “Por isso, o Banco Central do Brasil precisa alterar a sua estratégia de intervenção no mercado de câmbio, visando atenuar as pressões altistas, já que agora passam, também e principalmente, a ter origem no mercado de câmbio à vista, ou seja, a demanda é por dólares ‘spot’”, disse.


Fonte: Investimentos e Notícias
Link: http://migre.me/fEB45
Autor: Agência IN
Data de publicação: 02/08/2013

Compartilhar :
plugins premium WordPress