Índice Banco Central de atividade econômica – Brasil (IBC-Br) – Junho de 2018

O IBC-Br, após dessazonalização da série1/, recuou 0,99% no segundo trimestre do ano em relação ao trimestre anterior.

Ressalte-se que, relativamente ao mesmo trimestre de 2017, o IBC-Br elevou-se 0,84% no segundo trimestre desse ano. Essa variação interanual seria consistente com a evolução relativamente estável do PIB na margem, isto é, considerado o PIB do 2º trimestre em relação ao PIB do 1º trimestre, ajustado sazonalmente.

Há que se ter cuidado nas comparações trimestrais do IBC-Br e o PIB. Conforme ressaltado em boxe no Relatório de Inflação de março de 2018 - “Aspectos metodológicos e comparações dos comportamentos do IBC-Br e do PIB” -, características conceituais e metodológicas do IBC-Br (entre as quais o processo de dessazonalização) podem ocasionar diferenças temporárias entre a sua evolução e a do Produto Interno Bruto (PIB), ensejando cautela em comparações nos horizontes mais curtos. 

Essas diferenças entre o IBC-Br e o PIB trimestralmente tendem a se neutralizar ao longo do tempo, por isso recomendamos foco nas variações interanuais quando efetuadas as comparações. 

1/ Quando se comparam dados com ajuste sazonal, utilizam-se métodos estatísticos para eliminar ruídos na série econômica causadas por eventos típicos do calendário. Exemplo mais comum é o aumento de vendas do comércio em período de Natal. A utilização desses métodos estatísticos denomina-se dessazonalização da série.


Fonte: Banco Central

Mesa: (11) 3291-3260    |    Tel: (11) 3291-3266    |    Fax: (11) 3106-4920

Ouvidoria

0800 777 9504

ATENDIMENTO

de segunda a sexta-feira

das 09h00 às 18h00

ouvidoria@ngo.com.br

Acompanhe a NGO
ngo-icon b-facebook    ngo-icon c-twitter 

ngo-icon a-logo