Moody's altera perspectiva do Brasil de negativa para estável

Agência de classificação de risco destacou em decisão que o crescimento econômico foi mais forte que o esperado.

Em meio ao crescimento econômico mais forte que esperado e à redução das incertezas acerca do ajuste nas contas públicas, a agência de classificação de risco Moody’s alterou nesta segunda-feira (9) a perspectiva do Brasil de negativa para estável.

De acordo com a instituição, há consenso entre líderes políticos a respeito da necessidade de se cumprir o teto dos gastos públicos para garantir o crescimento econômico. Além disso, a Moody’s acredita que a queda dos juros e da inflação terá efeitos econômicos positivos sobre as contas públicas.

Segundo nota do Ministério da Fazenda, a melhora na perspectiva se deve às medidas econômicas do Governo do Brasil desde 2016. "Além do trabalho para restabelecer o equilíbrio fiscal, tem papel fundamental a ampla agenda de reformas em curso. Em particular, o sucesso na aprovação do Teto de Gastos, a reforma Trabalhista, o Programa de Recuperação Fiscal dos Estados, a reabertura do setor de óleo e gás e a reformulação das políticas de crédito do BNDES e a Taxa de Longo Prazo (TLP)", explica a pasta.

Bom pagador

A nota de crédito funciona como um selo de bom pagador mantido pelo País. Quando ele atinge o chamado “grau de investimento”, sinaliza para o investidor de que é seguro investir no país. Ainda que a nota brasileira tenha se mantido abaixo deste grau, a decisão mostra que isso pode mudar no futuro coma melhora nas contas públicas.


Fonte: Governo do Brasil, com informações da Moody's

Mesa: (11) 3291-3260    |    Tel: (11) 3291-3266    |    Fax: (11) 3106-4920

Ouvidoria

0800 777 9504

ATENDIMENTO

de segunda a sexta-feira

das 09h00 às 18h00

ouvidoria@ngo.com.br

Acompanhe a NGO
ngo-icon b-facebook    ngo-icon c-twitter 

ngo-icon a-logo