Moody's, Levy e Fed pressionam cotação do dólar

No day after do aviso da Moody's de que o Brasil pode perder a segunda nota em grau de investimento, o ministro Joaquim Levy perdeu a paciência. Em vez de um discurso tranquilizador, adotou a '''transparência ativa'':

– O rebaixamento reflete a realidade. Se você não se organiza, não tem união, o resultado é sério.

Nesta quinta, também vazou a informação de que no dia anterior, ameaçara: ''está fora'' – ou seja, deixa o cargo – se o Congresso reduzir a zero a meta de superávit primário…

Leia mais

É hora de comprar dólar, segundo especialistas

São Paulo - O dólar está barato para quem precisa comprar moeda para viajar ou pagar compromissos futuros, afirmam especialistas.

A cotação, hoje em R$ 3,77, está se mantendo em baixa pela atuação do Banco Central (BC), que voltou a oferecer linhas externas e continua com a ração diária de contratos de swap cambial, que dão proteção para a alta do dólar.

Ao mesmo tempo, a calmaria no exterior ajuda a manter o real mais valorizado. Mas a tendência é de alta no longo prazo, e é possível…

Leia mais

Brasil "está com sorte", mas analistas afirmam: calmaria do real será testada em breve

Real vem apresentando "dias de calmaria", mas analistas seguem céticos sobre os dias de tranquilidade da moeda brasileira; segundo economista da NGO, com incertezas do mercado e instabilidade, não há como ter moeda estável

O real vem apresentando "dias de calmaria" e rondado em torno de R$ 3,80, após ter chegado a ficar acima de R$ 4,00 em setembro. Porém, após os dados dos Estados Unidos da última sexta-feira, a maior parte dos analistas segue cética sobre se a divisa brasileira vai s…

Leia mais

Dólar fecha a R$ 3,99 e dá uma trégua depois de cinco altas consecutivas

Na quinta (24), o dólar chegou a R$ 4,24, mas acabou fechando em menos. Principal motivo para a queda da moeda foram iniciativas do Banco Central.

O dólar deu uma trégua e voltou a ficar abaixo dos R$ 4,00. Fechou a R$ 3,99 com uma queda de 3,7%. Essa foi a primeira vez que o dólar recuou depois de cinco altas seguidas e de atingir níveis recordes. A repórter Carla Modena explica o que fez a moeda cair.

Foi mais um dia em que o Banco Central teve que entrar no mercado para reduzir…

Leia mais

Entenda: swap cambial, leilão de linha e venda direta de dólares

Banco Central tem instrumentos para intervir na cotação do dólar. Já o Ministério da Fazenda, se quiser, pode mexer na alíquota do IOF.

A alta do dólar é uma preocupação do Banco Central, pois tem impacto na inflação. Isso acontece porque insumos e produtos importados ficam mais caros e tendem a ser repassados aos preços finais.

Para interferir nesse mercado, o BC tem três tipos de instrumento: pode atuar com os contratos de "swaps cambiais", com os leilões de linha e com a venda…

Leia mais

Mesa: (11) 3291-3260    |    Tel: (11) 3291-3266    |    Fax: (11) 3106-4920

Ouvidoria

0800 777 9504

ATENDIMENTO

de segunda a sexta-feira

das 09h00 às 18h00

ouvidoria@ngo.com.br

Acompanhe a NGO
ngo-icon b-facebook    ngo-icon c-twitter 

ngo-icon a-logo