Dólar passar a operar em alta, em dia de volta de intervenção do BC

Na 5ª, a moeda fechou a R$ 3,2133, com queda de mais de 11% no mês. No primeiro semestre de 2016, o dólar caiu mais de 18%.

O dólar passou a subir nesta sexta-feira (1º), em sessão instável, em dia marcado pela volta da interferência do Banco Central no câmbio após vários dias de ausência.

Às 16h30, a moeda subia 0,62%, a R$ 3,2334 na venda.

Acompanhe a cotação ao longo do dia:
Às 9h09, alta de 0,35%, a R$ 3,2244
Às 9h29, alta de 0,14%, a R$ 3,2177
Às 9h49, queda de 0,04%, a R$ 3,2119
À…

Leia mais

Banco Central quebra rotina das atuações no câmbio

O aumento da aposta em impeachment da presidente Dilma Rousseff reverteu a pressão de alta sobre o dólar e também levou o Banco Central a inverter suas atuações no câmbio. 

Em vez de vendedor, o BC agora é comprador de dólar futuro por meio dos swaps reversos.

Além disso, a previsibilidade das atuações no câmbio parece ser coisa do passado. O tipo e volume das ofertas nos leilões dependem das condições do mercado.

“Não é o BC que está errático, são as condições em que ele está ope…

Leia mais

Atuação do Banco Central reequilibra o mercado de câmbio

São Paulo - A atuação do Banco Central no câmbio nesta segunda-feira (21) surtiu o efeito desejado. O dólar fechou a sessão em alta, depois de ter caído mais de 10% em março até o pregão passado. Mas o movimento não deve ser perene e o dólar tende a cair um pouco mais diante das apostas no impeachment da presidente Dilma Rousseff. Esta é a percepção da maioria dos especialistas consultados por EXAME.com, que são unânimes em um aspecto: a atuação do BC nesta sessão foi oportuna e deve s…

Leia mais

Especialistas analisam os riscos do pós-Dilma para o mercado

(Bloomberg) -- Apesar dos protestos históricos neste domingo contra o governo Dilma, o mercado faz uma pausa na subida recente do mercado brasileiro, que levou o dólar a cair contra o real para abaixo do nível vigente antes de o país perder o grau de investimento.

Analistas consideram que a chance de impeachment da presidente Dilma Rousseff aumentou, ao mesmo tempo em que reconhecem que os riscos seguem elevados, mesmo diante da hipótese de um novo governo mais comprometido com as refo…

Leia mais

Mercado antevê os riscos do pós-Dilma

Apesar dos protestos históricos neste domingo contra ogoverno Dilma, o mercado faz uma pausa no rali recente dos ativos brasileiros, que levou o dólar a cair contra o real para abaixo do nível vigente antes de o país perder o grau de investimento.

Analistas consideram que a chance de impeachment da presidente Dilma Rousseff aumentou, ao mesmo tempo em que reconhecem que os riscos seguem elevados, mesmo diante da hipótese de um novo governo mais comprometido com as reformas.

“As expecta…

Leia mais

Mesa: (11) 3291-3260    |    Tel: (11) 3291-3266    |    Fax: (11) 3106-4920

Ouvidoria

0800 777 9504

ATENDIMENTO

de segunda a sexta-feira

das 09h00 às 18h00

ouvidoria@ngo.com.br

Acompanhe a NGO
ngo-icon b-facebook    ngo-icon c-twitter 

ngo-icon a-logo