Ibovespa recua 0,30%, aos 97.307,50 pontos

Em meio a um ambiente conturbado, com bolsas norte-americanas no vermelho e sem sinais concretos sobre as chances de aprovação da reforma da Previdência, o Ibovespa trabalhou em marcha lenta e fechou com queda de 0,30%, aos 97.307,50 pontos.

A liquidez foi reduzida, na casa de R$ 11 bilhões. Segundo operadores, o mercado deve seguir sem ânimo até pelo menos a instalação da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, que deve ocorrer apenas depois do carnaval. Além disso, investidores não querem se expor a uma eventual piora no exterior no início da semana que vem – em meio a notícias sobre negociações comerciais entre China e Estados Unidos e a novela do Brexit, por exemplo – com a B3 fechada.

O gerente da mesa de operação da Coinvalores, Marco Antônio Siqueira, afirma que o mercado está em compasso de espera e não deve engatar uma nova rodada de alta enquanto não houver sinais claros de que o governo tem grandes chances de aprovar a reforma. “A direção da bolsa, seja para cima ou para baixo, vem dessa questão da Previdência”, afirma o executivo.

O tombo não foi pior porque as ações da Petrobras avançaram, estimuladas pela alta do petróleo e a expectativa de que os resultados da companhia do quarto trimestre. O papel PN da petroleira subiu 1,88%, e o ON, 0,52%. Também avançaram os papéis da Eletrobras (+4,76% ON). Do lado negativo, a Vale caiu 0,78% após a Moody's rebaixar seu rating.

 

Mercado cambial

O real, por sua vez, passou o dia de ontem descolado de outras moedas emergentes e foi a divisa que mais ganhou valor ante o dólar na sessão de ontem. Amparado por fatores técnicos, como a proximidade do final do mês, com disputa pela definição do referencial Ptax de fevereiro e rolagem dos contratos de dólar futuro, a moeda americana caiu 0,40% e fechou cotada em R$ 3,7302.

Na disputa pela definição da Ptax, operadores ressaltam que os vendidos – aqueles que apostam na baixa da moeda – já sinalizaram estar fortes, a ponto de fazer o dólar operar aqui em ritmo diferente de outros emergentes. A moeda norte-americana subiu ante pares do real, como o peso mexicano, e países exportadores de commodities, como a Austrália. A Ptax de fevereiro será usada na liquidação e ajustes de contratos futuros de câmbio e de swap cambial.

As mesas de câmbio continuaram acompanhando os desdobramentos da reforma da Previdência, mas sem reflexo nos preços. O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, confirmou o que o mercado já esperava, que só depois do carnaval as coisas devem andar de fato no Congresso. Após o feriado, o presidente Jair Bolsonaro “vai 'botar o peito n'água' sobre a Previdência”, declarou o ministro.

Por enquanto, sem um novo catalisador para direcionar as cotações da moeda de modo mais firme, o dólar deve seguir no patamar de R$ 3,70 a R$ 3,75, afirmou o diretor da corretora NGO, Sidnei Nehme.

A curva de juros devolveu prêmios ontem, com as taxas tendo oscilado a maior parte do dia em queda moderada. No fechamento, a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2020 era em 6,460%, de 6,480% no ajuste anterior e o DI para janeiro de 2021 caiu de 7,132% para 7,08%. O DI para janeiro de 2023 encerrou a 8,19%, de 8,232%. A taxa para janeiro de 2025 recuou para 8,73%, de 8,762%.

ngo na midia dci Fonte: DCI
Autor: Estadão Conteúdo
Link: dci.com.br//ibovespa-recua-0-30-aos-97-307-50-pontos
Data de publicação: 28/02/2019

0
0
0
s2sdefault
Mesa: (11) 3291-3260    |    Tel: (11) 3291-3266    |    Fax: (11) 3106-4920

Ouvidoria

0800 777 9504

ATENDIMENTO

de segunda a sexta-feira

das 09h00 às 18h00

ouvidoria@ngo.com.br

Acompanhe a NGO
ngo-icon b-facebook    ngo-icon c-twitter 

ngo-icon a-logo