Com cenário externo e surpresa com Copom, Bolsa recua e dólar segue em alta

Alta dos títulos americanos e ajustes nos preços com a manutenção da Selic fizeram dólar chegar a R$ 3,70 e Bolsa cair mais de 2%.

O dólar segue em alta no início desta tarde após a decisão do Copom de manter a Selic em 6,5% ao ano. Mais do que a própria decisão do Banco Central por aqui, a moeda segue fortalecida amparada na alta dos juros dos títulos americanos. Por volta das 13h40, a moeda passou a subir 0,76%, cotado a R$ 3,7035. Na máxima do dia, o dólar chegou a R$ 3,7130, com valorização de 1,02% .

"A decisão do Copom de manter os juros ontem deveria ser para termos um dia mais tranquilo no câmbio. Mas o cenário internacional não deixa. Não há novidades e o dólar sobe hoje em relação à maior parte das moedas globais por mais do mesmo: altas dos juros americanos", afirma Cleber Alessie Machado Neto, operador da corretora H.Commcor.

A desvalorização recente acumulada pelo real deveria ser menor que a média das perdas de moedas de países emergentes com problemas, mas está acima da média e isso quer dizer que nossa taxa de câmbio já é afetada por incertezas internas, como a situação fiscal crítica, o cenário eleitoral para presidente nebuloso, a economia patinando (IBC-BR mostrou isso ontem), o desemprego enorme e crescente e a falta de perspectivas de reformas.

"Todos esses fatores já são precificados parcialmente, mas a tendência é de o dólar subir mais. Por isso, a desvalorização do real está acima da de outras moedas emergentes e ligadas a commodities, comenta o economista e sócio-diretor da corretora NGO, Sidnei Nehme.

O diretor da Correparti Jefferson Rugik diz que há saída de investidor estrangeiro do Brasil. "O investidor sai da bolsa e vai para os juros americanos, e mesmo com a manutenção da Selic, tem investidor de renda fixa indo para os T-Notes de 10 anos hoje", afirma.
Bolsa. Gestores reavaliam o cenário após a surpresa com a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) em relação à Selic. Ações de empresas de setores que dependem mais do crédito, do crescimento do consumo e do custo da captação estão entre os destaques negativos do Ibovespa, neste momento. Registram perdas ainda aquelas companhias com dívidas em dólar, que neste momento sobe ante o real. No início da tarde, a Bolsa recuava 2,24%, aos 84.602,57 pontos.

"Parte relevante do mercado financeiro vinha trabalhando com a perspectiva de corte de 0,25 ponto na reunião de ontem do Comitê de Política Monetária (Copom). Hoje é dia de correção", explica Carlos Soares, analista da Magliano.


ngo na midia estadao 02 Fonte: O Estado de S.Paulo
Autor: Silvana Rocha e Ana Luísa Westphalen
Link: economia.estadao.com.br...mercados,com-cenario-externo-e-surpresa-com-copom-bolsa-recua-1-5-e-dolar-segue-em-alta...
Data de publicação: 17/05/18

0
0
0
s2sdefault
Mesa: (11) 3291-3260    |    Tel: (11) 3291-3266    |    Fax: (11) 3106-4920

Ouvidoria

0800 777 9504

ATENDIMENTO

de segunda a sexta-feira

das 09h00 às 18h00

ouvidoria@ngo.com.br

Acompanhe a NGO
ngo-icon b-facebook    ngo-icon c-twitter 

ngo-icon a-logo